Buscar
  • Andef Niterói

Daniel Dias, Gigante pela própria natureza

Brasileiro que mais conquistou medalhas em Paralimpíadas se aposenta após os Jogos de

Tóquio.

Daniel Dias nasceu em Campinas, a 90 quilômetros de São Paulo, com uma má formação congênita dos membros superiores e na perna direita. Com uma prótese e o incentivo dos pais Paulo e Rosana, o campineiro cresceu experimentando vários esportes. Mas foi aos 16 anos, durante a Paralimpíada de Atenas, que ele resolveu ser nadador. A ideia veio na frente da televisão, enquanto assistia a Clodoaldo Silva, o “tubarão paralímpico” de quem virou fã, ganhar seis medalhas de ouro para o Brasil na edição de 2004. Dois anos depois, Daniel Dias era campeão mundial no mesmo esporte.

O primeiro ouro de grande porte veio no Mundial de Durban 2006, na África do Sul, com uma vitória nos 100m livre da classe S5. Naquele mesmo torneio, levou ainda outros dois ouros e duas pratas. O desempenho aos 18 anos mostrou que ali nascia um ídolo do esporte brasileiro e da natação global. Nos Jogos de Pequim 2008, sua primeira Paralimpíada, Dias faturou quatro ouros, quatro pratas e um bronze, encostando no ídolo do Clodoaldo. A partir dali, entrou para a história. O auge da carreira, entre 2010 e 2012, teve 25 vitórias em 26 finais disputadas, entre campeonato mundial, Parapan-americano e Paralimpíada. Na única que não venceu, foi medalha de prata.

Daniel se despediu das piscinas hoje. Fechou sua participação em Tóquio com 27 medalhas paralímpicas no total de sua carreira, sendo 14 ouros. Ficou em quarto lugar nos 50m livre, que foi sua última prova. Mas já tinha celebrado três bronzes na capital japonesa. Veja abaixo o vídeo que o Comitê Paralímpico Brasileiro (@ocpboficial) postou hoje como homenagem a história do Daniel Dias.

Parabéns pala história e pelo legado deixado, você fez o Brasil mais feliz através do esporte. Fonte: El País / CPB

7 visualizações0 comentário