Buscar
  • Andef Niterói

O albinismo é considerado uma deficiência?


A resposta é não! Mas o albinismo é uma condição causada pela falta na produção de melanina. Essas pessoas apresentam a ausência de pigmentação e, dependendo do grau, apresentam alterações na cor dos olhos, da pele e dos cabelos.

Apesar de não ser considerado uma deficiência, eles costumam apresentar, em sua grande maioria, problemas de visão, fazendo assim com que se enquadrem.

Sendo assim, apenas os albinos que possuem esta característica (o albinismo ocular ou óculo-cutâneo tendo a acuidade visual inferior a 30%) são considerados pessoas com deficiências.

O albinismo não tem cura mas tem como melhorar a qualidade de vida dos mesmos, o seu organismo é mais sensível aos raios solares, por isso devem sempre usar protetor solar, óculos escuros, chapéus, dentre outras proteções.


Tipos de Albinismo


Albinismo oculocutâneo

Este tipo de albinismo pode ser dividido em quatro subcategorias:


OCA-1: as pessoas apresentam pele e cabelos brancos, além de olhos azuis no nascimento. Alguns pacientes, com o tempo, passam a produzir melanina durante a primeira infância, exibindo um aumento na pigmentação. Outros, no entanto, permanecem como estão.

OCA-2: o subtipo mais comum em habitantes da África subsaariana, em afro americanos e nativos americanos também. A pessoa pode apresentar cabelo loiro, ruivo, cor de gengibre ou vermelho-vivo. Os olhos tendem a ser azuis ou castanhos bem claros. A pele, branca ao nascimento, pode desenvolver sardas e pintas ao longo dos anos conforme a pessoa é exposta ao sol.

OCA-3: este subtipo é mais comum em negros sul-africanos, que têm cor de pele avermelhada e um pouco morena, cor de cabelo ruiva e olhos da cor de avelã.

OCA-4: é bastante semelhante ao subtipo 2 e é mais frequentemente encontrado em pessoas de ascendência do Leste Asiático.

Albinismo ocular ligado ao cromossomo X

A causa deste tipo de albinismo está relacionada a uma mutação genética no cromossomo X. Este tipo, que ocorre quase exclusivamente em pessoas do sexo masculino, é caracterizado principalmente por problemas de visão - pele, cabelo e cor dos olhos estão geralmente dentro do padrão das pessoas da mesma família – às vezes, um pouco mais claros, no máximo.


Síndrome Hermansky-Pudlak

A síndrome de Hermansky-Pudlak é um tipo raro albinismo, causado por uma mutação em pelo menos um de oito genes diferentes. Curiosamente, a doença é muito mais comum em países como Porto Rico, e é caracterizada por sinais e sintomas muito semelhantes aos de pessoas com albinismo oculocutâneo, mas também pode haver ocorrência de doenças pulmonares e intestinais ou, ainda, um distúrbio hemorrágico.


Síndrome de Chediak-Higashi

A síndrome de Chediak-Higashi também é uma forma muito rara de albinismo, associada a uma mutação no gene LYST, responsável pelo transporte de enzimas aos lisossomos. Apresenta sinais e sintomas semelhantes ao albinismo oculocutâneo. Além disso, o cabelo é geralmente castanho ou loiro com um forte brilho prateado e a pele é geralmente branca ou acinzentada. As pessoas com essa síndrome apresentam um defeito nos glóbulos brancos do sangue, o que aumenta o risco de infecções.

529 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo