top of page
Buscar
  • Foto do escritorAndef Niterói

Regional Sudeste reuniu 5 times e recebeu presenças ilustres


O II Torneio Regional Sudeste de Rugby em Cadeiras de Rodas, realizado pela ABRC (associação Brasileira de Rugby em Cadeira de Rodas), reuniu 3 vezes mais atletas que a edição anterior e ainda foi palco de homenagens. A equipe carioca, Santer Viking Rugby, ficou com o ouro, pela equipe A, e com a prata, pela B, garantindo a vaga para a Copa dos Campeões ao lado dos times Gladiadores e Gigantes, já classificados. O Minas Quady Rugby, de Belo Horizonte (MG) ficou com o bronze pela equipe A e 4º lugar com a equipe B. O time capixaba, Irefes, de Vitória (ES), ficou em 5º colocado.

A disputa aconteceu na Andef, em Niterói (RJ), nos dias 22 e 23 de julho, e, além das equipes e familiares, teve presenças importantes como Amanda Diaz representando a Keeggo, Jefferson Maia - o primeiro Capitão da seleção Brasileira de RCR e Alexandre Rodrigues representando a Andef e a Confederação Brasileira de Basquete em CR. Recebemos também a vereadora Luciana Novaes que veio realizar uma homenagem especial ao nosso classificador, o Estevão Rios Monteiro, concedendo o título de Mérito Esportivo Hélio Gracie.

Luciana Novaes enfatizou o quanto gostou de ver o esporte pessoalmente e explicou sobre a homenagem. “Estou muito feliz de estar aqui. A energia de vocês é contagiante (...) venho homenagear o Estevão por seu trabalho, precisamos, cada vez, que pessoas assim sejam reconhecidas na sociedade e que aumente o número de pessoas envolvidas com o esporte inclusivo.” A vereadora também anunciou o projeto de Lei n. 2105/2023, que tramita na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, que visa incluir a data comemorativa "Dia do Rugby em Cadeira de Rodas", a ser comemorada anualmente no dia 3 de março. Estevão teve um papel fundamental, para esse projeto, contribuindo com sua justificativa e escolha da data.

Outro momento marcante foi o minuto de silêncio, na abertura do jogo entre o Minas Quad Rugby A e B, ao atleta, Jorge Coelho, e ao Marcelo Silveira, pai da fisioterapeuta Larissa, que nos deixaram recentemente. Davi Abreu, jogou usando a camisa número 5 do Jorge, que será aposentada.

Na cerimônia de premiação, Jefferson Maia falou com orgulho sobre o rugby de antes e agora. “Tenho muito orgulho de ter sido uns dos precursores do rugby em cadeira de rodas, no Brasil, e mais ainda de ver a sua evolução. O rugby chegou a um patamar muito acima do que eu imaginava naquela época”. O ex-capitão da seleção entregou o troféu de Atleta destaque para Thiago de Souza Falconi do Minas Quad Rugby.

O troféu de campeão foi entregue por Alexandre Rodrigues para o time do Santer Vikings, representado pela atleta estreante, Hawanna Cruz Ribeiro. Durante sua saudação, Alexandre reforçou a importância de eventos como esses e as parcerias entre as instituições esportivas, afirmando que “a Andef, assim como a Confederação de Basquete, seguem apoiando o rugby. É somando forças que faremos o esporte paralímpico se solidificar.”


Volume de jogos e qualificação profissional - A importância dos regionais


Os números de participantes das segundas edições dos torneios regionais triplicaram em relação à primeira. As equipes puderam se inscrever com dois times, trazendo um número maior de atletas. “Essa é uma possibilidade de dar rodagem aos atletas, interagindo os novatos com os mais experientes e permite um maior entrosamento com as demais equipes”, defende o presidente da ABRC, José Higino, que afirma: “os torneios regionais vieram para ficar. “Aumentar o volume de jogos no calendário ABRC é uma oportunidade para intensificar os treinos - em especial antes do Campeonato Brasileiro - permitindo reavaliações de táticas e classificação de novos atletas, garantindo, assim, jogos de alto nível”.

Hanna Ribeiro, a única mulher atleta do torneio, estreou com pé quente. “Com um mês de treino, resolvi vir participar e acabei me apaixonando, apesar de no início do meu acidente ter ficado revoltada, a equipe do Santer, que me recebeu como família, não desistiu de mim e, hoje encontrei meu lugar”, afirmou Hanna certa que tomou o passo certo. Também disputou o campeonato, pelo Minas B, o atleta colombiano, Julian Vargas Lopes, e o atleta Guilherme Camargo marcou seu retorno às competições, após um período de restabelecimento de saúde.


Entre os atletas estreantes o colombiano, Julian Vargas Lopes (Vargas), pelo time do Minas B, Hawanna Cruz Ribeiro (Hanna Ribeiro) pelo Santer A, Maurício Vieira Martins (Maurício) pela equipe do Irefes e o retorno do Gui, Guilherme Figueiredo Camargo, pela equipe do Minas A.


Os regionais possibilitam times, de ambas as divisões (1ª e 2ª), competirem entre si, oferecendo uma forma de avaliar o nível técnico individual e coletivo. “Hoje nós estamos indo embora, mas já estamos visando os outros campeonatos, é mais um momento para provar que somos capazes. Estamos voltando com a cabeça erguida, tendo que treinar mais”, afirmou, Mauricio Vieira da equipe Irefes, que ficou em 5 º lugar no campeonato.

Essa movimentação regional também impacta positivamente os profissionais envolvidos nas diversas funções da modalidade, como a arbitragem e a classificação funcional. Durante as bancas de Classificação Funcional dos atletas, participaram trainers e profissionais interessados em reciclagens baseadas nas normas da WWR (https://worldwheelchair.rugby/), pontuou, o fisioterapeuta e classificador da ABRC, Diego Macena. Os árbitros também aproveitaram para aprimorar suas funções de mesas e trabalho em quadra.

O próximo Torneio Regional será o Centro-Oeste, no próximo final semana, 29 e 30 de julho, em Brasília, no Sarah Lago Norte. Os jogos são transmitidos ao vivo e ficam disponíveis no Canal Youtube/ABRCRugby.

As fotos desse e dos outros eventos da ABRC estão nas galerias do flickr da ABRC.

https://www.flickr.com/photos/abrcrugby/albums/72177720310040213




PREMIAÇÃO INDIVIDUAL:

Atleta Destaque: Thiago de Souza Falconi. Minas Quad Rugby


PREMIAÇÃO POR EQUIPE:

CAMPEÃO: Santer Vikings A

VICE-CAMPEÃO: Santer Vikings B

3º LUGAR: Minas Quad Rugby B

4º LUGAR: IREFES


RESULTADOS

Jogo1: Minas B 19 x 58 Santer A

Jogo2: IREFES 29 x 49 Minas A

Jogo 3: Santer A 47 x 35 Santer B

Jogo 4: IREFES 27 x 42 Minas B

Jogo 5: Minas A 41 x 45 Santer B

Jogo 6: Santer B 27 x 18 IREFES

Jogo 7: Minas B 36 x 37 Minas A

Jogo 8: Santer A 43 x 16 IREFES

Jogo 9: Santer B 57 x 31 Minas B

Jogo 10: Minas A 25 x 60 Santer A




INFORMAÇÕES SOBRE RUGBY

(Fonte Site da ABRC https://rugbiabrc.org.br/)

O rugby em cadeira de rodas é uma a atividade de alto rendimento e exige muito preparo físico de seus praticantes. Não faz distinção de gênero ou idade e pode ser praticado por pessoas paraplégicas, após passar por uma classificação funcional para saber se está apto à modalidade e o seu nível físico. Essa avaliação é feita por um profissional em Classificação Funcional capacitado pela ABRC, conforme as regras internacionais da WWR (World Wheelchair Rugby).

No Brasil a modalidade chegou em 2008. Além de abrir as portas para a inclusão, a modalidade oferece aos amantes dos esportes de grande contato físico a oportunidade de mostrar não só sua força, mas também sua velocidade, inteligência e agilidade, já que essas são as principais características do rugby em cadeira de rodas.





Contato ABRC:

Thelma Vidales, Coordenação de Comunicação

+55 21 99762-9550

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page